quarta-feira, 19 de outubro de 2016

울음소리

Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o sabiá,
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá
Ah que saudades tenho
Dessa terra de outrora
Lá onde os pássaros cantam
Diferente de agora
Aqui todo pássaro é triste
Aqui todo pássaro chora


Mike Rodrigues

domingo, 9 de outubro de 2016

Desterro

Coberto por esse céu sem estrelas
Despido nesse deserto sem estradas
O silêncio desse ruído, desespero
Fusos se fundem, confundem-me
Nas noites em que não durmo
Sou animal diurno exposto nesse breu soturno
Os segundos empurram as horas
Passam-se os janeiros
Das janelas vigiam-me dez mil olhos
Todos meus atos deduram: estrangeiro


Mike Rodrigues

sábado, 1 de outubro de 2016

Sol em Libra

É outono
A Balança ensina equilíbrio
A alvura da garça embeleza o pântano
Cada gota de chuva alimenta o rio

É outono
A natureza em total harmonia
A morte das folhas nutre o solo
As noites aos poucos empurram os dias

É outono
Porque há de haver inverno
A mutação segue costumeira

Porque nenhum verão é eterno

Mike Rodrigues

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Poema de outono II

O pio macabro dos pássaros
Esfria as tardes de outono
Enquanto as cores das árvores
Ainda não esquentam a paisagem

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Poema de outono I

Céu cinza-chumbo
Clima úmido, frio
Gosto agridoce de nostalgia
A Beleza triste do quase-outono
Esvai o Tempo no cair das folhas
Aumenta a noite com o passar dos dias
O horror da existência
Ignorância, benção divina
Alienação servindo de resiliência
A vida é um caótico vazio
A morte uma plena inércia

terça-feira, 4 de agosto de 2015

지하철

As pessoas viajam mudas
O trem passa e as leva
Parecem com pressa
Paradas, lentamente arrastadas
Homens em seus ternos
Mulheres elegantemente maquiadas
O metrô se renova a cada parada
Mais do mesmo, mesmo do nada
Alguns vão sentados, outros em pé
Soldados à estrutura metálica
Esperam seus destinos,
A estação derradeira,
Convergência inevitável
Dessa fria linha férrea.

(03/08/15)

Mike Rodrigues

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Möbius

Nasci atrasado
com excesso de tempo
e falta de espaço
preso num perpétuo laço
sinto-me atado
tal qual um inseto
nessa fita infindável
ando sempre cansado
com saudades do futuro
no encalço o passado
o que há de errado?
com essas fronteiras
com esses embaraços
cercado pelo nada
coagido por todos lados

Mike Rodrigues